Mário Moura

Aurelindo Ceia

In Crítica, design on Outubro 29, 2008 at 8:18 pm

Enquanto aluno de design e mais tarde como designer, sempre senti uma orfandade em relação à história do design português. Era difícil perceber se fazíamos ou não parte de alguma coisa, o que quer que seja, uma sensação que ainda hoje tenho. Felizmente, aparecem, de vez quando, provas de que até é possível uma história do design em Portugal. Numa entrevista muito estimulante a Aurelindo Ceia no Reactor, são cobertas uma série de questões importantes, desde a história do design e do ensino do design em Portugal, até uma crítica do ensino superior pós-Bolonha. Interessou-me em particular a parte dedicada à relação entre a exposição pública e a docência:

“expor o meu trabalho é também abdicar do que é um processo de poder: um professor, numa sala de aula, encontra-se numa situação de poder perante os alunos, e essa é a base do processo formativo. Quando (me) exponho, subverto essa relação de poder – todos os professores que têm obra feita deveriam ter condições para serem sujeitos a essa prova.”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: